Saiba tudo sobre o uso medicinal da maconha

Muita gente sabe que a maconha tem propriedades que podem ser usadas para amenizar sintomas de doenças e, em alguns casos, até ajudar no tratamento delas. Mas ainda existem diversas dúvidas a respeito do uso medicinal da maconha. Você sabe quais são elas?

No post de hoje, vamos responder a 4 perguntas fundamentais para ajudar você a entender mais sobre o assunto. Acompanhe!

Por que a maconha pode ser usada no tratamento de doenças?

A principal substância responsável pelos efeitos conhecidos da maconha é o delta-9-tetraidrocanabinol, mais popular pela sua sigla, THC. Como explica uma reportagem da Super Interessante, foi no ano de 1964, em Israel, que o pesquisador Raphael Mechoulan, da Universidade de Telavive, conseguiu extrair o composto da Cannabis sativa.

Além disso, ele aprendeu a sintetizar o THC, dando origem a diversos estudos sobre a substância que, logo no início dos anos 70, resultaram nos primeiros remédios com base nela.

O THC tem propriedades que já são conhecidas de quem é familiarizado com a erva, como estimular o apetite e acalmar o nervosismo. Além disso, ele também ajuda no controle de náuseas e enjoos. E essas qualidades ajudam pacientes de doenças severas, como vamos explicar mais abaixo.

Quais doenças podem ser amenizadas ou tratadas pela erva?

Duas das doenças mais graves do mundo podem ter seu tratamento auxiliado pelo uso medicinal da maconha: a Aids e o câncer. No caso da primeira, a principal vantagem do THC é estimular o apetite do paciente, porque um dos principais problemas enfrentados por essas pessoas é a perda da fome e da vontade de comer.

Para quem enfrenta um câncer, a maconha ajuda a lidar com a quimioterapia, um tratamento extremamente forte, famoso por causar náuseas e vômitos em seus pacientes. Nos quadros mais graves, a pessoa acaba não conseguindo continuar a químio por causa disso, e medicamentos (ou mesmo cigarros) à base de maconha podem ajudar a controlar o problema.

A maconha também pode ajudar no combate a problemas psicológicos por meio de outra substância, o canabidiol, como cita a Gazeta do Povo. Estudos iniciais mostraram que o canabidiol pode ajudar no tratamento da ansiedade, sem causar dependência nem outras reações adversas que podem ser trazidas pelo THC.

Há restrições ao uso medicinal da maconha?

Como acontece com qualquer medicamento, algumas pessoas podem não responder bem ao tratamento, sofrendo mais com as reações adversas do que aproveitando os benefícios.

O portal Tua Saúde destaca que, usada na forma de medicamento, a maconha não traz risco de dependência química, mas pode trazer problemas relacionados ao psicológico, como insônia, ansiedade e depressão.

Por isso, ela pode ser contraindicada para pacientes com alguma doença psiquiátrica, além de mulheres grávidas ou amamentando. E o seu consumo na forma de cigarro pode ser problemático para pacientes com doenças respiratórias.

Em quais países esse tipo de uso está liberado?

O uso medicinal da maconha é legalizado em alguns estados dos Estados Unidos, na Itália, Canadá, Israel e Reino Unido. Na Holanda, o uso da erva é mais flexível ainda, podendo existir produtos fabricados com a planta in natura e distribuídos em farmácias mesmo.

Más notícias pra gente, entretanto. No Brasil, a maconha não só é proibida, como medicamentos que contenham extratos da planta tampouco são permitidos.

Agora que você sabe mais sobre o uso medicinal da maconha, que tal dizer o que você pensa sobre o assunto? Deixe sua opinião pra gente nos comentários e participe!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários