Além da música: saiba qual era a visão política de Bob Marley

Quando se fala em Bob Marley, muitos pensam logo na sua filosofia de vida rastafári e no papel que ele teve na popularização do reggae no mundo todo. Porém, nem todos se lembram de imediato da visão política de Bob Marley e da origem de suas músicas, que eram inspiradas pelo contexto histórico da sua época.

Por mais que sentir a música seja ótimo, a verdadeira compreensão do sentido de suas canções só vem quando não só a sentimos com o coração, mas a entendemos com a mente. Aprender mais sobre o autor das músicas pode ajudar nessa compreensão, e por isso vamos te contar agora um pouco mais sobre a visão política do músico jamaicano. Entenda agora o que ele defendia e compreenda melhor as suas letras!

Anticolonialismo

Bob Marley tinha um posicionamento bem firme, contrário à política colonialista das grandes potências. Ele pregava contra o colonialismo e a favor da liberdade de regiões ainda oprimidas, principalmente a África. Essa visão política era bastante influenciada pela religião da qual ele se tornou o maior porta voz o mundo: a rastafári.

Sua religião pregava que a África, principalmente a África Oriental, no entorno de onde hoje é a Etiópia, era a terra favorecida por Deus. A região é conhecida entre os seguidores como “Sião”, em referência à terra prometida descrita na Bíblia Cristã, e é o berço da população negra.

Honrando os preceitos de sua religião, o músico valorizava suas origens africanas e por isso queria ver seu povo livre da opressão. Uma música que deixa claro esse posicionamento é “Africa Unite”, que fala da necessidade de unir todos os africanos em busca da sua liberdade.

Universalização dos direitos civis

Uma pessoa que influenciou bastante a visão política de Bob Marley foi o militante negro Marcus Garvey. Jamaicano como Bob, Marcus devotou sua vida a lutar pela igualdade de direitos da população negra. O movimento messiânico rastafári se iniciou através de uma interpretação que Marcus deu para passagens bíblicas.

Assim como Marcus, o músico também acreditava na igualdade dos povos e foi um grande combatente do racismo. Um de seus maiores sucessos expressa claramente essa visão: na música “Get Up, Stand Up”, ele convoca o povo da Jamaica a se posicionar contra o racismo e pedia mais amor para que o país se unisse e vivesse em paz.

Legalização da maconha

A maconha na cultura rastafári é bastante presente. Ela é entendida como uma forma de purificação e limpeza do espírito e é usada em rituais. Sendo assim, Bob Marley também sempre se posicionou politicamente a favor da legalização da erva.

O artista chegou a ser preso duas vezes por estar portando a droga. Esses episódios, assim como a sua experiência religiosa, o levaram a escrever a música “Legalize It”. A letra não tem como ser mais direta, pedindo pela legalização e indo contra o julgamento das pessoas.

A Paz

O cantor sempre pregou o amor como a melhor medida para a solução de conflitos, para que assim se chegue a paz. Bob Marley levava isso tão a sério que uma vez, em meio ao caos de violência urbana em que se encontrava a Jamaica, ele decidiu por fazer um show gratuito para pregar a paz.

Poucos dias antes do show acontecer, ele sofreu um atentado e foi baleado. Mesmo assim, dois dias depois, ele subiu ao palco, cheio de curativos e fez o seu show. Quando questionado sobre sua atitude impressionante, ele fez uma declaração que ficou bastante conhecida: “As pessoas que estão tentando destruir o mundo não tiram um dia de folga. Como posso, eu, tirar, se estou fazendo o bem?”.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a visão política de Bob Marley? Então, curta a nossa página do Facebook e fique dentro de tudo sobre a cultura canábica e afins!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários